Três projetos em Lisboa selecionados para prémio internacional de arquitetura RIBA

Data de publicação

Da lista de 62 projetos selecionados, que foi divulgada no ‘site’ do Instituto Real de Arquitetos Britânicos (RIBA, na sigla em inglês), o júri irá escolher alguns, que irá visitar para depois poder selecionar os quatro finalistas. O vencedor será anunciado em novembro de 2018.

Entre os 62 finalistas estão três projetos situados em Lisboa.

O edifício do MAAT, da Fundação EDP, situado na frente ribeirinha, na zona de Belém, foi projetado pelo ateliê AL_A, num investimento global de 20 milhões de euros pela EDP.

\"\"

O quarteirão piloto do Bairro Padre Cruz, em Carnide, o maior bairro social da Península Ibérica, dois edifícios com um total de 20 habitações a implementar na zona de alvenarias do bairro, foi projetado pela Orange – Arquitectura e Gestão de Projecto com Bruno Silvestre Architecture e D Sul, para a Câmara Municipal de Lisboa.

\"\"

A sede e Centro de Inovação e Competitividade da GS1 Portugal, no Lumiar, cujas paredes exteriores foram trabalhadas pelo artista português Alexandre Farto, que assina Vhils, foi projetada pelo atelier Promontório.

\"\"

O prémio internacional de arquitetura RIBA visa distinguir o mais significativo e inspirador edifício do ano.

Em 2018, o prémio será atribuído “a um edifício que exemplifique excelência em design, ambição arquitetónica e tenha um impacto social significativo”, lê-se no ‘site’ do RIBA.

Em 2016, foi galardoada a Universidade de Engenharia e Tecnologia (UTEC) em Lima, no Peru, projetada pelo Grafton Architects.

O Centro de Artes Contemporâneas dos Açores, projetado pelo ateliê Menos é Mais Arquitetos e João Mendes Ribeiro, era um dos seis finalistas

Fundado em 1834, o RIBA é uma das mais prestigiadas organizações da prática da arquitetura em todo mundo.

Fonte: DN

Gabinetes:

AL_A – AMANDA LEVETE ARCHITECTS

ORANGE – ARQUITECTURA E GESTÃO DE PROJECTO, LDA

PROMONTÓRIO – ARQUITECTOS ASSOCIADOS, LDA