facebook_pixelOTIS moderniza 8 elevadores Gen2®. Mais eficiência energética no Clube Praia da Rocha no Algarve | Projectista
OTIS

OTIS moderniza 8 elevadores Gen2®. Mais eficiência energética no Clube Praia da Rocha no Algarve

Data de publicação

Um empreendimento, agora, mais sustentável.

Leia a Entrevista Especial a António Vaz de Meireles – Administrador dos Condomínios Clube P.R.

OTIS – Fale-nos um pouco deste projeto e como foi para si a experiência de trabalhar com a OTIS no mesmo.

A.V.M. – Este empreendimento sofreu uma transformação nos últimos 2 anos, passou de empreendimento turístico para um empreendimento habitacional, no entanto, apesar de ser um empreendimento habitacional ainda temos uma carga muito grande de alojamentos turísticos, em termos de alojamento local. Sazonalmente temos uma ocupação de quase 100% do empreendimento, que é composto por 627 frações de habitação, sendo o maior condomínio do país. Tendo sido a OTIS que começou este projeto, há cerca de dois anos, achamos que faria sentido dar continuidade e concluir o processo também com a OTIS. Quando tomámos conta do projeto entrámos em contacto com a OTIS para perceber o que estava em curso e qual era o calendário para terminar as modernizações. Sobre a experiência de trabalhar com uma empresa como a OTIS, posso referir que fiquei muito satisfeito porque foi cumprido o calendário previsto e o processo de modernização foi realizado sem quase darmos conta do trabalho que estava a ser realizado pelos funcionários da OTIS. Assim, devido ao calendário que escolhemos para a montagem e o serviço prestado pela empresa, o impacto nos proprietários foi muito reduzido. A experiência foi positiva, tanto para nós como para os proprietários, que ficaram com uma imagem muito agradável do trabalho que a OTIS executou no empreendimento.

O – Que mais valias identifica no projeto de modernização que desenvolvemos? O resultado foi o expectável?

A.V.M. – O projeto de modernização trouxe-nos algumas mais valias como, não termos obras adicionais em termos de alvenaria, construção civil, demolições e construções. Por essa razão não existiram grandes impactos ao nível do barulho externo, do lixo, o incómodo de não se poder passar nos patamares ou o perigo de pôr barreiras.

Foi também o passar despercebido à maior parte dos proprietários e moradores – estava escrito na porta “em manutenção” e quase ninguém percebeu que não era uma manutenção normal, mas sim uma reparação completa aos elevadores. Entrámos neste projeto para modernizar e as expectativas foram cumpridas, o impacto foi mínimo. Neste momento estamos muito satisfeitos pela nossa aposta na OTIS. No futuro, temos a expectativa que esta modernização resulte numa redução de custos ao nível energético. Para além disso, o tempo de espera que as pessoas vão ter nos patamares também irá mudar porque vem sempre o elevador que está mais perto – até hoje, chamava-se o elevador e vinham todos os elevadores e agora isso já não acontece. Em termos de custos vamos observar uma redução significativa, pois vão existir menos pessoas à espera e os elevadores estarão a funcionar mais corretamente e eficientemente.

O – Ficou satisfeito com a relação custo/benefício deste projeto?

A.V.M. – Penso que a relação custo-benefício deverá vir no fim do semestre, mas a nossa expectativa é ter uma redução entre os 15-20% no de consumo de energia. Nós, a complementar esta aposta, também aderimos a um sistema de energia fotovoltaica, energia solar. Num condomínio deste tamanho, os maiores gastos são em mão de obra e na energia elétrica. Na mão de obra não podemos poupar, mas se conseguirmos poupar na energia e tirar 15 a 20% de orçamento em dois blocos, é uma mais-valia muito grande.

Os equipamentos que tínhamos já faziam com que houvesse alguma dificuldade em arranjar peças, a manutenção e intervenção demorava mais tempo porque não existiam consumíveis disponíveis no imediato. Com esta modernização também vamos poupar muito nesta parte curativa, porque em termos preventivos vai ser mais eficiente e consequentemente vamos gastar menos. O mesmo acontecerá com a OTIS, que poupará em termos de mão de obra na manutenção dos elevadores. Vai ser uma mais-valia para ambas as partes.

O – Tendo em consideração a época alta para o Turismo que se aproxima, considera que esta modernização irá marcar a diferença na estadia dos hóspedes das frações e que variolizará o mesmo?

A.V.M. – O feedback que estamos a ter, depois de termos publicado a informação de que os elevadores tinham sido modernizados nas redes sociais, é muito positivo, da parte dos proprietários, que dizem quase não se terem apercebido do decorrer do trabalho da OTIS aqui. Não podemos esquecer que o proprietário aqui também é investidor e tem mais apartamentos noutros sítios e, ao surgir a oportunidade de reformular o sistema nesses sítios, vão lembrar-se da OTIS, o que também será uma mais-valia para a empresa. Por proposta da OTIS, vamos ainda incluir um sistema e-View nos elevadores que nos irá permitir ficar mais próximos dos passageiros e responder às suas necessidades de forma mais rápida e precisa.

Conheça o serviço de modernização da OTIS aqui.