Mapei

HABITAR PORTUGAL 12-14 EM CASTELO BRANCO

Data de publicação

A exposição que aqui se apresenta, que a Câmara Municipal de Castelo Branco e o Museu Francisco Tavares
Proença Júnior decidiram acolher, faz parte de uma itinerância de 14 exposições que percorre o país e terminará no final de 2017. Este conjunto de exposições procura nas suas diversas manifestações compreender, discutir e reportar o estado e a condição da arquitectura portuguesa. Para esse efeito cada exposição é única, quer no seu layout quer na parede que reúne os elementos de um processo de trabalho e de reflexão do comissariado com conteúdos originais. Em Castelo Branco o destaque é dado a duas obras na sua proximidade geográfica em confronto com duas obras construídas por arquitectos portugueses fora de Portugal, nos vídeos expostos na secção Atmosfera Específica e nas
apresentações feitas pelos seus autores. O debate que integra o programa paralelo procura debruçar-se sobre alguns aspectos da prática da arquitectura fora dos grandes centros urbanos que se entende serem oportunos neste contexto
convocando à discussão áreas distintas de conhecimento.

O processo de resgate da economia portuguesa pressupôs um reajustamento como consequência deste estado de suspensão e reavaliação do seu estado anterior. Os processos de crise foram sendo historicamente momentos fecundos para a arquitectura e para a sua História, como podemos então ver e perceber este por que passamos agora? Se a arquitectura está sob resgate, como é o seu reajustamento?

Luis Tavares Pereira, Bruno Baldaia e Magda Seifert
Comissários HP 12-14