Beneficiação na Estação de Alcântara-Terra

Data de publicação

Foram consignados, no dia 5 de abril, os trabalhos da empreitada de substituição da cobertura das plataformas da Estação de Alcântara-Terra, que têm a duração prevista de 180 dias e um custo de 485 430,50 euros.

Estação de Alcântara-Terra

Além da substituição das placas da cobertura, serão realizados trabalhos de decapagem, proteção anticorrosiva e pintura da estrutura metálica de suporte. Prevê-se também a instalação de um sistema anti pombos de modo a proteger a futura estrutura metálica dos danos provocados pelo povoamento destas aves.

Devido à remoção da cobertura, uma parte das plataformas das linhas 1, 2 e 3 ficará interdita, podendo visualizar-se na planta em anexo as limitações de acesso e os percursos alternativos para os passageiros dos comboios e outros utentes da estação.

O projeto e a obra são da responsabilidade da Infraestruturas de Portugal.

A Estação de Alcântara-Terra, estação terminal da Linha de Cintura de Lisboa, faz serviço de passageiros e de mercadorias, e tem ligações a Campolide através do túnel de Alcântara e ao Ramal de Alcântara-Mar.

O projeto das altíssimas coberturas das plataformas da estação (1887) é atribuído a Bartissol e a Seyrig, colaborador da Casa Eiffel.

No dia 2 de Abril de 1887 foi aberta à exploração a linha de Alcântara até Sintra, muito aplaudida pela imprensa, que previa uma nova época de prosperidade e riqueza para a região, e uma grande afluência de visitantes.

Gabinete:

INFRAESTRUTURAS DE PORTUGAL, S.A.